O que é dança litúrgica?
 
O que é dança litúrgica?

30.Jun

O que é dança litúrgica?


Para se falar em dança litúrgica é necessário entender o que a dança em si representa.


A dança nasceu de uma necessidade intrínseca do ser humano de expressar suas emoções, nas manifestações e na conexão sua com a natureza. Ela é tão antiga quanto o homem e está presente desde o início de todas as coisas (BREGOLATO, 2000). Expressar emoções, para todos é uma necessidade diária. Queremos ser compreendidos através de nossas palavras ou atitudes fazendo com que nos conectemos com o outro. Na dança, essa conexão se torna ainda mais profunda. É possível experimentar uma sensação de liberdade e leveza da alma ao deixar fluir os movimentos.


Tão importante quanto a linguagem verbal, é a linguagem gestual. Ela expressa sensações e emoções que as palavras muitas vezes são insuficientes para descrever. Dessa forma, o homem criou uma linguagem de sinais através da dança, seja para expressar sua cultura ou seus sentimentos, dando forma a seus pensamentos através de combinações de movimentos e ritmos. (FARO, 1986)


Mas onde a dança litúrgica se encaixa? Segundo documento 43 da CNBB nosso corpo, sensível e dócil ao movimento, é uma fonte inesgotável de expressão. Por isso, na liturgia têm importância os gestos, as posturas, as caminhadas e a dança. (Animação da vida litúrgica no Brasil, números 83, 207, 241 e 297).


A dança litúrgica se caracteriza pela leveza, harmonia e sobriedade estando conectada com a liturgia. Não é um momento de espetáculo nem de exibicionismo. Ela deve ser plena de simplicidade fazendo com que toda a assembléia seja direcionada à oração.


Entre as mais nobres atividades do espírito humano estão, de pleno direito, as belas artes, e muito especialmente a arte religiosa e o seu mais alto cimo, que é a arte sacra. Elas tendem, por natureza, a exprimir de algum modo, nas obras saídas das mãos do homem, a infinita beleza de Deus, e estarão mais orientadas para o louvor e glória de Deus se não tiverem outro fim senão o de conduzir piamente e o mais eficazmente possível, através das suas obras, o espírito do homem até Deus. (Sacrosanctum Concilium, 123).


A mãe igreja vê a arte sacra, entre elas a dança, como um benefício para a evangelização, unindo ao cântico glorioso dirigido à Deus. É necessário que se tenha prudência nesta manifestação litúrgica para que esteja de acordo com as normas estabelecidas pela igreja como prevista na Constituição Conciliar “Recordem-se constantemente os artistas que desejam, levados pela sua inspiração, servir a glória de Deus na santa Igreja, de que a sua atividade é, de algum modo, uma sagrada imitação de Deus criador e de que as suas obras se destinam ao culto católico, à edificação, piedade e instrução religiosa dos fiéis.” (Sacrosanctum Concilium, 127).


Levemos a palavra de Deus através deste ato grandioso que é a oração por meio da arte sacra, das expressões corporais que nos é permitido sempre levando em conta a necessidade de se entregar ao Espírito Santo para que Ele conduza seus passos e movimentos. Não hesite em levar seu ministério para a liturgia, este é o ato mais importante de todo o espetáculo que possa ser vivenciado.


 


Talita Marcela dos Santos – Designer de Moda – Projeto Figurino de Dança


 


Fontes:


Documento 43 da CNBB, \"Animação da vida litúrgica no Brasil\" (Paulinas, São Paulo, 1989, em seus números 83, 207, 241 e 297).


BREGOLATO, Roseli Aparecida. Cultura corporal da dança. Vol. 1. São Paulo: Icone Editora, 2000.


FARO, Antonio José. Pequena História da Dança. 2. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1986.


Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium sobre a sagrada liturgia: 123, 127.

 
 
Cadastre seu e-mail e receba mais materias como está
 
 
Ingressos: Cúria Diocesana de Joinville, Rua Jaguaruna, 147, 89201-450, Centro, Joinville/SC l (047) 9630-1746
 
Copyright © 2017 Festival de Dança Sacra. Todos os direitos reservados.